Author: Edna

Aguardente de S. Teotónio é a melhor de Portugal

“E a melhor aguardente do país é a “Medronho Original”, produzida pela empresa Júnior Jacques Destiladores, instalada na zona de São Miguel, na freguesia de São Teotónio (concelho de Odemira). A distinção foi atribuída durante o 5º Concurso Nacional de Aguardentes Não-Vínicas, recentemente realizado em Santarém, em que a aguardente de medronho do Alentejo Litoral não recebeu um, mas dois prémios: a “Medalha de Ouro”, na competição de aguardentes de medronho, e o prémio “Melhor dos Melhores”, que considerou todos os vencedores nas diversas categorias a concurso.”

Academia do Medronho vai nascer em Odemira

“A Associação Arbutus, com sede em Odemira, acaba de lançar a Academia Medronho SW, que visa ensinar a profissionais das áreas da restauração, hotelaria e bar, entre outras, a preparar cocktails com aguardente de medronho. O projecto, apresentado publicamente no passado mês de Novembro, resulta de uma parceria da associação com a Cocktail Academy, de Paulo Ramos, e tem como grande meta valorizar a fileira deste produto endógeno das zonas interiores do concelho.”

Medronho: o fruto vermelho do futuro que Portugal está a (re)descobrir

(…) A produção do fruto está delimitada aos concelhos algarvios de Aljezur, Vila do Bispo, Monchique, Silves, Lagos, Albufeira, Loulé, Faro, São Brás de Alportel, Tavira, Castro Marim e Alcoutim e, ainda, aos concelhos alentejanos de Odemira, Ourique e Almodôvar. Os frutos, de acordo com a ficha técnica apresentada para certificação pela Apagarbe – Associação de Produtores de Aguardente de Medronho do Barlavento Algarvio, revelam valores de metanol, acidez total e acetato de etilo inferiores ao da aguardente de medronho comum. (…)

Pão de medronho está à venda

(…) Desenvolvido nos últimos 10 anos pelo chefe de cozinha e nutricionista Rui Lopes, mestrando em Gestão da Qualidade e Segurança Alimentar da Escola Superior Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM) do Politécnico de Leiria, o primeiro pão de frutos vermelhos é obtido a partir de farinhas não corrigidas, de longevidade superior, que lhe permitem manter a frescura e macieza interna até ao sexto dia de vida útil. (…)

O medronho não dá só aguardente. Em Vila Nova de Tazem dá azeite

Uma chegada inesperada ao lagar de azeite de Vila Nova de Tazem. “É medronho apanhado ontem, em Oliveira do Hospital, no Vale dos Sonhos, inclinado para o Rio Alva, onde arderam 40 hectares de medronheiros”, descreve Nuno Pereira, 39 anos, sob o olhar atento de outros produtores de azeite que, curiosos, espreitam as caixas com o fruto que costuma ser utilizado para aguardente.

Inquérito Coopera_RS – Medronho

O projeto COOPERA_RS insere-se no âmbito do programa PROVERE de Valorização Económica de Recursos Endógenos na região do Alentejo e pretende promover práticas de cooperação e competição dentro das fileiras dos recursos silvestres. Este inquérito tem como objetivo identificar e georreferenciar os recursos públicos e privados existentes (equipamentos, infraestruturas, outros) e potencialmente partilháveis dentro da fileira, de maneira a apoiar e estimular a criação de valor em torno dos recursos silvestres.